17 de março de 2016

O bolo de casamento do meu pai

Entretanto o meu pai casou e fui eu que fiz o bolo de casamento! Não ficou perfeito porque na pastelaria só mesmo muita prática é que leva à perfeição mas foi carregado do ingrediente mais importante, amor, talvez por isso toda a gente tenha adorado.
Confesso que não sou grande fã de bolos cobertos por pasta de açúcar por isso optei por um naked cake ou em bom português um "bolo nu". Fiz o bolo por camadas e com três andares. Utilizei uma genoise de chocolate e fui alternando com dois recheios, compota de morango e ganache de chocolate preto. Foram os noivos que escolheram os sabores e como o casamento foi no inicio do outono este bolo "quente" fez sentido. Usei uma decoração simples à base de frutos vermelhos só com uns pequenos apontamentos em pasta de açúcar (as rosas).
Pode assustar ver uma receita com tantos elementos mas juro que é fácil. Não é certamente um bolo para fazer todos os dias mas há dias que merecem bolos destes!

As quantidades que vos indico nas receitas faz um bolo para cerca de 30 pessoas.

Ingredientes
Genoise
16 ovos
500g açúcar
250g farinha T55
130g farinha maizena
130g cacau em pó

Calda
250g água
100g de açúcar
Casca de uma lima

Compota
1kg de morangos
800g de açúcar
1 casca de limão
1 copo de água

Ganache
705g natas
600g chocolate preto
70g manteiga tcº ambiente

Decoração
Frutos vermelhos à escolha
Açúcar em pó q.b.
Rosas em pasta de açúcar

Preparação
Genoise
Num recipiente juntem a farinha, a maizena e o cacau.
Batam os ovos com o açúcar numa batedeira até a mistura triplicar o seu tamanho e ficar fofa e clara.
Envolvam nesta mistura as farinhas, o melhor é usar um salazar e envolver aos poucos e devagar, assim não retiramos ar à mistura e asseguramos que o bolo fica fofinho.
Dividam o aparelho por três formas ou aros (o que interessa é que sejam de tamanhos diferentes) bem untados e levem ao forno a 185ºC por cerca de 30min.

Calda
Juntem todos os ingredientes num tacho e levem ao lume até levantar fervura. Reservem e deixem arrefecer.

Compota
Cortem os morangos grosseiramente e coloquem num tacho. Adicionem todos os outros ingredientes e levem ao lume. Deixem levantar fervura e depois baixem o lume e deixem cozinhar durante cerca de 1h. Deixem arrefecer e reservem.

Ganache
Cortem o chocolate em quadrados pequenos e coloquem num recipiente. Fervam as natas e deitem 1/3 por cima do chocolate, vão mexendo para o chocolate ir derretendo. Depois deitem mais 1/3, mexam sempre para envolver as natas com o chocolate. Por sim deitem o último terço e continuem a mexer. Nesta altura o chocolate deve estar todo derretido e emulsionado com as natas, devem ter uma mistura homogénea. Por fim adicionem a manteiga em pequenas nozes e envolvam na ganhache.

Montagem
Cortem cada bolo em três camadas, todas elas devem ser pinceladas abundantemente com a calda. Depois barrem uma das camadas com a compota e tapem com outra camada. Barrem esta camada com a ganache e tapem com a última camada. Este método deve ser utilizado para os três bolos.
Para o bolo base não abater com o peso dos outros devem utilizar um sistema tipo estacas... O que fiz foi, cortei quatro palitos daqueles das espetadas da mesma espessura do bolo e espetei no centro formando mais ou menos um quadrado, depois por cima do bolo coloquei um cartão fininho (vendem nas lojas de cakedesign) que não se vê porque o bolo de cima tapa. Fiz o mesmo para o bolo do andar do meio. Eu decorei o bolo como podem ver na foto mas aqui à todo o espaço para dar largas à imaginação!




16 de março de 2016

Acabei o curso de Culinary Arts!

Depois de um ano e meio de muito trabalho, dedicação, alegrias e tristezas acabei o curso de cozinha!
Acho que agora sou oficialmente cozinheira! Acreditem que um curso de cozinha é completamente diferente de todos os outros cursos. Requer muita disponibilidade, e muito trabalho de equipa, com tudo o que isso traz de bom e de mau. Mas no final a verdade é que saímos da escola com mais uma família. Já estou envolvida num projecto onde vou trabalhar a tempo inteiro mas espero agora ter mais tempo para dedicar ao blog, agora com mais conhecimentos técnicos e mais experiências para partilhar convosco!

15 de abril de 2015

Água aromatizada

Com a entrada na escola mudei muito os meus hábitos alimentares e não foi para melhor... Comecei a comer mais, com intervalos mais espaçados e também a ingerir mais gorduras e açúcares. O resultado foi ganhar alguns quilos e sentir-me desconfortável,  principalmente devido ao inchaço abdominal. Agora ao fim de uns meses estou finalmente a aprender a comer melhor mesmo quando estou sempre rodeada de comida mas também truques que me fazem sentir melhor. Um deles é esta água aromatizada. Dizem que a combinação dos ingredientes é ultra detox. Não sei se será ou não, mas que me faz sentir bem lá isso faz! Além disso é deliciosa e sabe super bem beber esta água fresquinha pela manhã! 
Aqui vai um género de receita, se bem que devem adaptar a quantidade de ingredientes ao vosso gosto, eu por exemplo não gosto muito do sabor do pepino na água por isso coloco muito pouco, bem aqui vai...


Ingredientes
1L de água
3 rodelas de limão
1 rodela de pepino
2 rodelas de gengibre
1 colher se sopa bem cheia de folhas de hortelã esmagadas


Preparação
Colocar todos os ingredientes num recipiente e reservar no frigorífico durante a noite. Ir bebendo ao longo do dia.


14 de abril de 2015

Mudanças...

De certeza que já repararam que as publicações no blog têm sido cada vez mais reduzidas e espaçadas... Sinceramente a razão para isto é maioritariamente falta de tempo. Quem diz que a vida de estudante é que é boa por favor leia este texto até ao fim para ver um exemplo de uma dia de um estudante de cozinha:)
Depois a verdade é que há dois factores que me condicionam a publicação de muitas das coisas que faço, vejo ou vivo... Uma delas é o facto de querer sempre a fotografia perfeita... As minhas fotos nunca foram grande coisa (verdade seja dita), mas quando me emprestaram uma máquina toda pró a tendência foi começar a brincar com ela, procurar novos planos, brincar com as cores, ajustar o foco etc. etc. Quando devolvi a máquina pensei que as fotografias que tirava com o meu tlm do século passado não tinham qualidade suficiente para o blog e pronto... Publicações nem vê-las... Então a 1ª novidade é: Quem continuar a ler o blog tem de se preparar para fotos menos elaboradas e onde a comida pode não parecer tão apetitosa como num editorial de revista mas acreditem,  se digo que o sabor é delicioso é porque realmente o é!:) 
A segunda razão que tem condicionado o número de publicações é o facto de presentemente grande parte do meu dia a dia ser é passado na escola. Tenho aprendido imenso, mas grande parte das coisas que tenho aprendido não passam pelo vegetarianismo, vai daí não partilho nada... Então a segunda novidade é... e aí vem bomba... A Cozinha Paralela vai deixar de ser exclusivamente vegetariana... Sei que muitos de vocês não vão gostar desta noticia e que possivelmente vão deixar de seguir o blog, mas a verdade é que só assim conseguirei continuar a partilhar informação convosco, e no final o propósito de ter um blog é poder partilhar coisas, não é? Também vos digo honestamente que na minha opinião grande parte do que ando a aprender e que poderei partilhar aqui é ajustável ao vegetarianismo, bastando muitas vezes pequenas alterações que irei sempre sugerir! 
Por isso a partir de agora contem com fotos ranhosas e todo o tipo de comida! Espero continuar a contar com a companhia de todos! Aos que não se revêem neste modelo e me vão deixar de seguir quero agradecer muito a companhia até aqui:)
E pronto, chega de mudanças... Só mais uma nota, se por acaso ficarem curiosos sobre algum tema ou produto que traga aqui para o blog mas que não aprofunde, comuniquem! 

Como disse no inicio da publicação vou-vos agora contar como é um dia de um estudante de cozinha, neste caso a quinta-feira passada, dia 09 de Abril, aqui vai...

8h45 - 09h50 - Aula de F&B Cost Control

09h50 - 10h30 - Demonstração de massa de pizza com o World Champion Pizzaiolo Christian de Rosa. Ele explicou que a vantagem de trabalhar a massa manualmente (em vez de utilizar um rolo) é que ela desta forma ganha bolhas de ar, o que faz com se torne mais leva, aqui fica um filme para verem como se trabalha a massa, super fácil - NOT! :D


video


10h30 - 14h - Aula de Pastelaria Regional/Conventual, onde fizemos Castanhas de Viseu (na foto), Fatias de Tomar e Pudim de Ovos e Laranja


14h - 15h - Almoço

15h - 16h30 - Palestra sobre Arenque fermentado, um produto muito mal cheiroso mas muito gostoso muito apreciado na Suécia. Coo se vê na foto é comido com uma tosta sueca, batata cozida, cebola rocha, natas frescas e funcho.


16h30 - 22h - Show cooking no Peixe em Lisboa numa parceria entre a Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa e a Doca Pesca onde o produto utilizado foi o carapau seco e o carapau enjoado da Nazaré. Aqui não houve tempo para fotos:)

23 de setembro de 2014

Onde faço as minhas compras?

Olá! Muito frequentemente amigos e clientes me perguntam onde faço as minhas compras. Muitos dos amigos ficam surpreendidos com a panóplia de produtos que conseguem encontrar nos locais que sugiro e por isso decidi partilhar também convosco! São 5 os locais onde me costumo abastecer, todos eles em Lisboa. São esses locais que me fazem descobrir novos sabores e me dão vontade de procurar novas receitas e técnicas. Espero que se aventurem por eles e que se deliciem tanto ou mais do que eu:) Vamos lá então?

Mercado biológico Campo Pequeno e/ou Príncipe Real:

Estes mercados ocorrem todos os sábados de manhã e são promovidos pela Associação Portuguesa de Agricultura Biológica. O do mercado do Campo Pequeno é mesmo ao lado da Praça de Touros (buuuuuuuhhhhhh), estando de frente para a porta principal da praça a feira fica do lado direito. A do Príncipe Real fica no Jardim do Príncipe Real. Em ambas as feira encontram produtos de excelente qualidade e muito variados, vão lá encontrar frutas e vegetais que nunca viram na vida! 


Feira do Príncipe Real


Mercado de Benfica:

Não é biológico mas vão encontrar muitos pequenos produtores locais com produtos também excelentes! É um mercado à antiga! Enorme, cheio de bancas e vida! AMO! Para além de fruta e legumes, também encontram excelentes leguminosas secas, pão e quejinhos caseiros. Nas portas de acesso existem 2 floristas com preços muito acessíveis e que vendem legumes em sementeira:) Os preços são mais baixos do que o dos frescos nas grandes superfícies e a simpatia dos vendedores contagiante. O mercado fica na Rua João Frederico Ludovice, vindo pela Estrada de Benfica (em direcção às Portas de Benfica), chegando à igreja viram à direita e depois na primeira à esquerda, andam cerca de 250m e estão lá;) Funciona todos do dias de manhã excepto ao domingo.
Produtos  disponíveis no Mercado de Benfica


Miosótis Loja de Produtos Biológicos:

Neste pequeno supermercado podem encontrar tudo o que é produto biológico, não só produtos alimentares mas também detergentes, produtos dermatológicos, óleos essenciais, vinhos, etc etc... Adoro o ambiente familiar desta loja que tem uma secção de produtos frescos fantástica, onde até podem encontrar sementes germinadas. É aqui que costumo comprar frutos secos e cereais integrais a granel. Os preços no geral são mais em conta que outros supermercados biológicos que conheço. Fica na Rua Marquês Sá da Bandeira N16 A, entre o Saldanha e a Gulbenkian e abre de segunda a sábado das 9h às 20h.

Entrada Miosótis
 (fonte: http://www.yelp.pt/biz_photos/mios%C3%B3tis-lisboa-2?select=5n2E-6lwasqTacRGTOxwng#5n2E-6lwasqTacRGTOxwng)


Popat Store:

É nesta loja indiana que compro maior parte das minhas especiarias! Lá encontram tudo o que é especiaria em grão ou moídas e muito mais baratas que nas grandes superfícies. Encontram ainda muitos outros produtos como vários tipos de lentilhas, diversas farinhas, vários leites de coco, folhas de caril, frescos de origem indiana etc etc. Os senhores da loja são super simpáticos e se se sentirem perdidos no meio de tanto produto desconhecido peçam ajuda que eles explicam tudo! Esta loja localiza-se no Centro Comercial Mouraria (no Martim Moniz), saindo do metro pela saída que dá acesso ao centro basta seguir pelo pequeno corredor e vão encontrar a loja no final desse mesmo corredor ao vosso lado esquerdo. O horário de funcionamento é de segunda a sábado das 9h às 20h.


Entrada e Interior da Popat Store


Supermercado Chen:

Neste supermercado chinês podem encontrar tudo o que é produto alimentar asiático. Os produtos que costumo comprar lá são principalmente as massas de arroz e udon, algas, miso e molho de soja. Têm ainda uma pequena secção de produtos frescos onde os amantes de tofu podem encontrar um tofu mole muito bom. Os preços são muito em conta e costumam lá estar duas senhoras chinesas, uma delas quase não fala português mas a que usa óculos fala português fluente e adora explicar como se devem confeccionar os produtos. Não encontrei o horário em lado nenhum mas sei que fecha ao domingo e que de segunda a sábado fecham para hora de almoço (já dei com o nariz na porta nestas duas situações). O supermercado também fica no Martim Moniz, no Poço do Borratém N23/24, se estiverem na praça do Martim Moniz virados para o Hotel Mundial sigam pela rua da esquerda, andem cerca de 200m e numa esquina vão ver o supermercado.


Entrada e Secção Massas do Supermercado Chen










14 de setembro de 2014

Opinião dos livros "Em Defesa da Comida" e "Saber Comer"

Olá! Hoje não é uma receita que venho partilhar mas sim a opinião de dois livros que li a semana passada. 
Os dois livros dos quais vos venho falar são do jornalista cientifico Michael Pollan que tem dedicado os seus últimos 25 anos a investigar e escrever sobre cultura e comida, mais especificamente como estes dois temas são indissociáveis. Os livros que li foram "Em Defesa da Comida" e o "Saber Comer", fiquei com muita vontade de ler o "Dilema do Omnívoro" e o "Cooked" que ainda não está traduzido para português mas talvez me aventure a ler em inglês.
Falando então dos dois livros que li... 
"Em Defesa da Comida" que me custou 2€ na Fnac, explica a evolução da industria alimentar e os seus riscos para a saúde. Adorei! Tem uma linguagem muito acessível e retrata tudo com exemplos práticos. Embora Michael Pollan comprove todos os factos que refere com estudos científicos não peca pelo pensamento dentro da caixa e pouco holístico a que por vezes a ciência obriga. Aliás este autor não é em nada extremista e este foi um dos aspectos que me fez gostar ainda mais do que ele escreve. O tema dos riscos que a industria alimentar oferece à saúde e cultura pode ser um pouco exaustivo, logo penso que este livro se dirige a quem está de facto muito interessado nesta temática. O livro também é muito dirigido à realidade dos EUA, mas as semelhanças com a nossa realidade são muitas. Penso que a maior diferença entre estas duas realidades é que em Portugal beneficiamos do facto de estarmos inseridos numa dieta tradicional, a dieta mediterrânea enquanto os norte americanos não se baseiam em nenhuma dieta tradicional, estando assim totalmente embrenhados na dieta ocidental. 
"Saber Comer", também o comprei na Fnac e custou 8,70€. Este livro refere 64 regras que devemos seguir para nos alimentarmos melhor. São regras muito gerais, nada como "não coma hidratos de carbono depois das 21h" mas sim "Evite produtos alimentares com ingredientes que uma criança do terceiro ano não consiga pronunciar." Este livro é na prática um resumo do "Em Defesa da Comida", e na minha opinião dirige-se a quem não faz mesmo ideia do que é uma alimentação dita saudável. Resumindo acho que se leram o "Em Defesa da Comida" e têm noção do que é uma alimentação natural não vale a pena lerem o "Saber Comer". Se por outro lado estão agora a começar a seguir uma alimentação saudável/natural e precisam de algumas dicas sem quererem entrar numa literatura mais exaustiva, este é o livro ideal.

Quais foram então as ideias gerais que tirei destes dois livros:

  • "Coma comida. Mas não em excesso. Vegetais sobretudo." Esta é a bandeira de ambos os livros.
  • O maior veneno alimentar, não são as gorduras, nem os hidratos de carbono mas sim a comida processada! 
  • No seguimento do ponto anterior, é cada vez mais importante fazer as nossas compras em mercados locais e fugir das grandes superfícies.
  • A forma como comemos é tão importante como o que comemos, por isso comer com prazer é essencial.
  • A nutrição é uma ciência muito recente e ainda temos muito a descobrir... O principal problema desta ciência é que aborda os nutrientes de forma isolada o que nos impede de perceber a sinergia entre alimentos/nutrientes.
  • Existe um novo conceito de dieta alimentar, o flexitarianismo, dieta onde os seus seguidores comem maioritariamente alimentos de origem vegetal mas que por vezes introduzem carne na sua alimentação. Estudos comprovam que os flexitarianos beneficiam das mesmas vantagens a nível de saúde que os vegetarianos.
E é isto, espero que vos tenha despertado o interesse para estes livros e que não achem presunção minha a publicação desta opinião:) Beijinhos





9 de setembro de 2014

Bruschetta Fresca de Tomate, o video!

É com algum embaraço mas também muito orgulho que apresento a primeira video receita da cozinha paralela!
É uma obra de arte da realização? Não, não é... Tive imensas dificuldades, primeiro a câmara gravava o ficheiro com erro, depois o movie maker não funciona no meu pc, depois não sabia por onde começar a editar, depois o programa grátis que encontrei deu-me imensos erros nas transições de imagem, depois tinha vergonha da minha voz a narrar a receita e parecia-me que só dizia parvoíces, e por fim nenhuma música ficava bem de fundo, tanto que acabei por não colocar nenhuma... Para terem uma ideia as dificuldades e receios  foram tantos que andava a cozinhar este video desde o inicio de Julho...
Mas então, com estas dificuldades todas, se insisti é porque a receita deve ser tão complexa que precisa de um apoio visual? Não, nem pouco mais ou menos... É possivelmente a receita mais simples de toda a cozinha paralela mas temos de começar por algum lado e eu decidi começar pelo fácil :P 
Não é o video perfeito mas os próximos serão melhores certamente e foi feito com muito amor para que vejam a comida da mesma perspectiva que eu (literalmente) :) 
A receita é mesmo super deliciosa e super fresca, ideal para o Verão (que a avaliar pelo dia de hoje está a querer voltar) e são só 3m e 40s de filme que espero que arrisquem ver e muito poucos ingredientes que tornam esta receita tão especial.

Para verem o video cliquem na imagem ;)